Angele Meum

Angele Meum

Angele Meum
Quo Abisti
Salva Me

Tento e retento e perco-me outra vez
A loucura vence a sensatez
E então, vivo com a certeza de falhar
Mas não, este fardo começa a pesar.
Chovem maus indícios
Agitam-se outros vícios
Seduz a tentação.
Eleva-se uma ira
Apressa-se a mentira
Já não há salvação.
E aqui prostrado,
Sozinho, desamparado,
Já só me deixo sonhar.

Somnio ex quo surgere nolo
Salus prope

Já não sei
Se hei de fugir.
Mas se ficar,
Irei cair?

Puxo da força que brota em mim
Nest’abismo sem fim
Quem me irá travar?
Se o sonho comanda a vida
Porque é que a minha está perdida?
Peço ao céu para lá me levar.

Angele Meum Salva Me

Deixo a tristeza me envolver
Espero pelo amanhecer
Por um novo acordar
Mas canto num pranto
Este meu desencanto
Um dia irei despertar.

2019

Letra: Diogo “Jarbas” Lima
Composição: Diogo “Jarbas” Lima
Arranjos para quarteto: Diogo “Jarbas” Lima